As palavras vão-se nas correntes de vento, somem-se, e uma imensidão delas é mesmo como se a gente as jogasse fora. Se ouvidas, muitas vezes -, não ressoam com o sentido que traduza significâncias aproveitáveis em utilidades, com efeito. Aliás, praticamente, por uma parte bem extensa do nosso tempo, estamos desdobrando-nos a conversar. Legal! E não assuntos sós que sejam com planificações que redundem em soluções de algo a se resolver. Também em prosas.

Conversamos as palestras do nosso agrado – com a família, com nossos amigos, com nossos IIrr∴…, sentimentais ou não, concluindo-se até com risos, muito “gostosos no relacionamento”, e no reforço constante da mais pura amizade. Pô! Eu acho um “barato!”E são conversas, até aí, triviais, se “desmanchando” quase sempre em risos, nada iguais, tamanhos os prazeres. “Rola” tudo. Inclusive, “uma estreita conversa”, com quem nos anima, nos fortalece, otimismo solto, para a continuidade magistral, desta ida nossa pela “Estrada Colossal da Vida”. É ótimo!

Mas o autor cita seu título enfatizando que – se as conversa são também veículos em que se expressam soluções -, no entanto, estas, consideradas as situações em que nos prestamos a agir, para conseguirmos “fins” de relevantes valias…, aí elas são bem mais propositivas, com ações que pomos a cabo, com a lisura através de nossas atitudes. Não por acaso! Porque são as atitudes, – muitas vezes até reflexionadas antecipadamente -, onde há um plano de ação pensado a se cuidar como digo.

Tem planejamento bem elaborado, de fato se faz mais forte porque se idealizou,  se definiu bem para a nossa construção. Sentiram a magnitude a que se quer chegar? Não só palavras tão válidas, mais atitudes aí tem um “peso” mais cunhado. Então, neste caso, é bem mais ponderável, mais sensato, sinceridade posta a pautarem nossas realizações…; sábias, dedicadas, decididas, conscientes, – retratadas “lineares” em nossas atitudes.

– Meu G∴ A∴ D∴ U∴ – Eu não me nego que sou um “gozador em prosa”. Se quiserem, sou também um “malabarista”, fico em cima do muro. Recorro às minhas “Entidades” -, porque em tudo eu coloco sensações transbordantes que me fazem “levitar”, – com glórias  no que eu vou fazer. Sei mudar “no meio” se preciso… . Das palavras, em assuntos liberais, ditas a cada instante da atuação, eu “mudo” para o que tem que ser muito sério, e trato ali mesmo, com as mais prudentes atitudes, resolvendo-se com autêntica credibilidade.

Há sinceridade extensa no trato, se resolve a contento o que se colocar em pauta, o tom em negócio com todos os enlaces de um perfeito design, marketing aplicado à moda…, enfim, do puro sistema comercial que se precisava solucionar decidindo bem…, e eu faço. Entre palavras,  pode até que se expresse algo alegre e saudáveis na ocasião, mas as atitudes – me acreditem -, são todas conscientes, ponderadas -, e tudo bem mais consistente. Francamente, se eu trabalho só – faria?

Gratidão, Senhor.

Edmar Carneiro.

AMLEC – C-47.

Edmar Carneiro
at
José Edmar Carneiro, Mestre Maçom da Loja Goaçalves Ledo Nº 89 - Orador da Loja, Membro da Acadêmia Maçônica de Letras do Estado do Ceará. No Mundo Profano - Advogado, mas deempenhei no âmbito do Trabalho, o Cargo de Gestor de Administração de Vendas, atualmente - Aposentado.